Opinião

Vacinação a Conta Gotas

145318914 3177392572487515 1460173063431142241 o 1

Das coisas mais difíceis de fazer neste mundo, são escolhas, ainda assim e muitas vezes, as mesmas são baseadas em competências, referências, preferências ou por exclusão de partes. Neste caso específico, anda na boca do mundo, o processo “obrigatório” de escolha de elementos dos corpos de bombeiros, que irão ser vacinados nesta “1ª fase” de vacinação anti Covid19.

Como bombeiro e não me interessa saber se sou vacinado antes ou depois de companheiros meus, o que é relevante é o facto de apenas cerca de 50% do corpo ativo do país, merecer, aos olhos da Task Force e do Min. Saúde ser vacinado nesta fase.

Das duas uma, ou realmente estamos perante uma “escolha de Sofia”, (para quem não viu o filme que veja) ou planeámos mal o grupo prioritário ou então e não acredito que seja… é uma nova gafe no respeito pelos Bombeiros! Sendo o mais pragmático possível é disto que se trata. O processo de escolha é, no mínimo surreal aos olhos de quem estipulou estes números. Será que foram estipulados numa Café…ou numa Pastelaria? Ok, sejam os que estão na “linha da frente”. Bem, para ser honesto não faz sentido nenhum até porque os Bombeiros continuam cá para fazer acidentes de viação, até para fazer emergências não Covid. Quer dizer que não há perigo, desempenhando um papel de voluntário ou não, fazer estes outros “tipos” de emergências? Qualquer “serviço” é passível de contatar com um paciente COVID até assintomático ou será que não percebem?

Esta seria a altura de se retratarem alguns processos errados e de desprimor pelos Bombeiros de Portugal, em passados recentes, ainda assim continuamos a Desvalorizar, Desprestigiar, Desrespeitar quer os profissionais quer os voluntários deste país que mais um vez estão na dita “Linha da Frente”, seja ela de saúde seja ela de fogo.

Será que somos assim tão odiados, tão desvalorizados pelas altas entidades do país?
As Associações e os Comandos, têm feito milagres de gestão, de valorização e de empreendedorismo nos seus CB’s e a troco de “migalhas”.

Compreendo que seja complicado gerir o Stock de vacinas, até porque como se tem percebido, tem sido difícil fazer contas e não deixar que “sobrem” uns quantos frasquitos. Sei que também não é um problema que se passa apenas em Portugal. É um mal humano em tempos de crises humanitárias, de catástrofes, de salvaguardar o seu próprio bem e o dos amigos e familiares 🙂

Sempre me disseram que já está tudo inventado no mundo por isso olhem-se para outros planos e adotemo-los como referência. O caso do Reino Unido é um excelente exemplo. Então, será muito fácil perceber qual é a estratégia ao alterar o time-gap entre a 1ª dose e a 2ª dose de 21 dias para 80. O que quer dizer que no mesmo período de tempo que em Portugal, serão vacinadas mais pessoas, criando um 1º nível de imunidade imediata e em massa ao invés de “tentar” imunizar a 95% um menor grupo de pessoas. Em termos de efetividade, é muito mais relevante tentar imunizar mesmo com 50% (1 dose), 1 milhão de pessoas do que imunizar a 95% 500 mil. Bem mas isso era preciso pensarmos e isso tem-se mostrado difícil aqui junto ao mar.

Ultrapassando este processo de estratégia, passamos ao que infelizmente temos e o que temos é manifestamente triste. Se eu fosse uma galinha contentaria-me com umas migalhas mas não sou e não me contento com a decisão de apenas 50% do corpo ativo de cada corporação poder ser vacinado nesta fase, já que os restantes serão “um dia”. Atitudes como as do distrito de Viseu e Leiria são excelentes exemplos do murro na mesa que ás vezes se tem que dar. Entendo também a posição de outros quererem aproveitar o que há para tentar minimizar riscos. Perfeitamente louvável. Só não entendo uma coisa… isto também só acontece porque não existe uma linha de orientação, estudada, falada e planeada.

ONDE RAIO ANDA A LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES ?
Vou voltar a perguntar porque às vezes sinto que não se houve bem esta pergunta:

ONDE RAIO ANDA A LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES ?
Estranho a posição e a falta de atitude na defesa dos direitos dos tais…”Bombeiros Portugueses”!
Estranho o silêncio, na busca de soluções, pedidos de audiência ao MAI.
Estranho a ausência de opinião.
Estranho esta atitude de desresponsabilização.
Estranho esta falta de noção de que a Comunicação é, hoje em dia, uma arma de ouro para atingir o fim que desejamos.
Será que a Liga TAMBÉM acha que os bombeiros só combatem incêndios e que só deve “acordar” daqui a 2 meses?!?
Existirão muitos bombeiros espalhados pelo país que tinham os seus “segundos trabalhos” para além do seu trabalho principal como Bombeiro profissional e que neste momento estão a passar dificuldades, porque simplesmente não o podem desempenhar! Onde está a Liga para os apoiar? Onde está a Liga para usar os fundos que vão circulando por aí, para apoiar efetivamente o bombeiro que precisa? Há muitas famílias constituídas por um agregado familiar de 1 e 2 bombeiros. Com filhos inclusive! Até na questão do fornecimento de computadores para compensar os que não têm acesso ao ensino à distância! Não seria inteligente dar-mos o passo em frente em prol de uma classe que é a de Bombeiro e muitas vezes sim, substituir as falhas do estado nas lacunas familiares e apoio social ao Bombeiro?!
Onde está a Liga para reunir 2,3, 4 comandantes representativos do país, elaborar um manifesto e lutar por mudar alguma coisa?
Onde está a Liga para lutar pelo que é justo e merecido?

A LBP não tem, pelo menos nos últimos anos, sido relevante, sido preponderante, sido decisiva no rumo dos Bombeiros em Portugal. Posto isto, acho que Abril está longe mas, acho que consigo arranjar um vinil do Zeca Afonso e pô-lo a tocar um dia destes.

Inspirem-se, reinventem-se mas acordem meus senhores!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo
Fechar

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.